2019/09/25

Notícias do dia

Google diz ter atingido "supremacia quântica" na computação; CTA define o que é o 8K Ultra HD; Google lança finalmente a app do Gmail com modo escuro para Android e iOS; Apple mostra novidades do iPadOS; app Dabox da CGD quer ser o "treinador financeiro" dos portugueses; e decisão do TJUE diz que Google não tem que apagar resultados a nível mundial por causa do "direito a ser esquecido" europeu.

Antes de passarmos às notícias do dia temos um novo passatempo gadget da semana, que te pode valer earphones Bluetooth I80 com carregamento wireless; e relembro que o nosso meeting mensal é já este sábado.

iPhones de 2020 recuperam design do iPhone 4



Depois do design estreado no iPhone X e que tem servido de guia para os iPhones XS e iPhone 11, para o próximo ano (2020) a Apple poderá regressar às inspirações do iPhone 4, diz-nos o habitualmente acertado Ming-Chi Kuo.

A banda metálica em redor do iPhone seria uma versão renovada, recorrendo a novas técnicas de fabrico, que poderiam aproximar o iPhone do design utilizado nos iPad Pro mais recentes, e potencialmente recorrendo a vidro safira para protecção de algumas secções (com segmentos diferenciados para não interferir com a transição para a conectividade 5G).


iOS 13.1 e iPadOS já disponíveis



Tal como tinha sido anunciado, não foi preciso esperar muito para se passar do iOS 13 para o iOS 13.1, que vem acompanhado também pelo iPadOS e tvOS respectivos. Esta versão traz algumas das funcionalidades em falta do iOS 13 (como partilha de tempo de chegada directamente do Apple Maps), e também resolve algumas das lentidões e hesitaçãos que se faziam sentir no iOS 13, assim como na abertura de apps.



Curiosamente, vem também com um novo bug que deverá obrigar à chegada de um iOS 13.1.1 muito em breve, já que permite que teclados tenham "acesso total" mesmo quando os utilizadores não activam essa opção.


Alemanha acusa CEO e presidente da VW no caso Dieselgate



A está a avançar com acusações criminais contra o actual CEO da VW Herbert Diess e o presidente Hans Dieter Poetsch, a par do anterior CEO Martin Winterkorn, no caso dieselgate. Até à data este escândalo já custou à VW mais de 30 mil milhões de dólares, em multas e despesas associadas, a que se somam outros milhares de milhões que têm sido feito a acelerar o investimento nos automóveis eléctricos, como forma de deixar este episódio para trás.

... Resta saber até que ponto é que todas estas multas e acusações resultarão em medidas concretas e efectivas, e se não serão apenas algo para ficar bem nas notícias, enquanto na realidade pouco ou nada muda. Aliás, dá que pensar porque motivo este tipo de acções não se expande ao sector das petrolíferas, como se poderá ver já a seguir:


CEO da ExxonMobil não "percebe" os carros eléctricos



O CEO da ExxonMobil parece ter dificuldade em perceber a realidade em que vive, nem mesmo ao ver a sua empresa sair do top 10 da lista da S&P 500 - onde se mantinha desde a sua criação, há 90 anos, e na qual ocupava a primeira posição há apenas 10 anos.

Darren Woods desvaloriza os carros eléctricos, insistindo na ideia de que a sua energia terá que vir das centrais a carvão, esquecendo-se de referir que a geração de energia a partir de carvão tem tido uma redução acentuada em inúmeros países, e que mesmo nos EUA o carvão já representa menos de um terço da energia gerada em 2018. Adicionalmente, mesmo no caso absurdo de que toda a energia viesse das centrais a carvão, já foi também demonstrado que ainda assim, um carro eléctrico seria menos poluente que um carro a combustão na sua utilização diária.

Infelizmente... outra coisa não seria de esperar de uma empresa que já sabia para onde nos estava a levar, há décadas, e mesmo assim silenciou os alertas e continua a insistir no memos.


Promoção do dia


Curtas do dia


Resumo da madrugada

1 comentário:

  1. A UBER Eats chegou aqui...?

    Isso faz-me recordar que existe este documentário:
    https://www.youtube.com/watch?v=6eWZx53teIo

    ResponderEliminar

[pub]