2021/06/25

Notícias do dia

Microsoft apresenta Windows 11 com apps Android; iPhones de 2022 com Touch ID no ecrã e sem versão mini; Google adia transição para FLoC e mantém-se nos cookies por mais uns anos; Apple TV+ começa a ser a pagar em Julho; Nvidia Canvas transforma rabiscos em paisagens; Hubble pode ter que mudar para computador backup que nunca foi ligado; e Apple diz que deixar instalar apps fora da App Store remove opções aos consumidores.

Antes de passarmos às notícias do dia, temos novos passatempo gadget da semana que te pode valer uma pen USB SanDisk Extreme Go 128GB.

Apple ameaça "leakers"

A Apple parece querer regressar aos tempos de secretismo em que nada se sabia sobre os seus produtos, mas uma vez que parece ser incapaz de o fazer na origem, está agora a ameaçar vários dos leakers mais proeminentes com mensagens dos seus advogados, para que não voltem a divulgar informação sobre produtos não anunciados.

Há quem já refira que se a Apple fizer o mesmo a leakers nos EUA, o caso se arrisca a ser arrastado para os tribunais e a por à prova o direito à livre-expressão, uma vez que estas pessoas nunca assinaram qualquer contrato de "não divulgação" com a Apple, e se limitam a falar de informação que vai surgindo de forma anónima. Uma vez que há pouco para revelar sobre as próximas gerações de iPhones, a minha suspeita é que a Apple esteja a tentar assustar este sector para que talvez os seus futuros óculos de realidade aumentada possam ser uma surpresa quando forem apresentados, em vez de - como habitualmente acontece - já se saber praticamente tudo nas semanas ou meses que antecedem a sua apresentação oficial.


Mozilla Rally tenta o tracking voluntário para estudos científicos

Não, a Mozilla não vai entrar nas competições automóveis, embora o nome da sua mais recente iniciativa assim o pudesse fazer parecer. O Mozilla Rally é uma nova plataforma de partilha de dados, onde é pedido aos utilizadores que sejam eles a voluntariar a informação que normalmente seria recolhida pelo tracking dissimulado, e que sejam eles a escolher os estudos científicos de análise de dados em que desejam participar.

O objectivo, segundo a Mozilla, é fazer com que sejam os utilizadores a ter total controlo sobre se querem partilhar alguma da informação do uso que fazem da internet, e com a querem partilhar, procurando com isso dar uma melhor ideia do valor que esses dados têm. Por exemplo, os utilizadores podem optar por participar num estudo até ao final do ano, que está a ser realizado por investigadores da universidade de Princeton, quanto à sua exposição a notícias políticas e sobre Covid-19, e a ideia é que muitos outros adiram a esta plataforma para obterem os seus dados de forma justa. Veremos se outros browsers aderem ao sistema, ou se se limitará a ser apenas uma mera experiência sem impacto significativo.


iOS 15 vai permitir que apps usem mais RAM

A Apple vai permitir a existência de apps mais exigentes nos iPhones e iPads. Actualmente as apps iOS / iPadOS só podem utilizar um máximo de 5GB de memória RAM, um limite que ajuda a que as apps e sistema corram de forma eficiente. Mas, com os mais recentes iPad Pro a virem equipados com até 16GB de RAM, parece estar a chegar o momento para essa regra ser alterada.

Nas versões beta do iOS 15 e iPadOS 15 existem referência a um modo de acesso a mais memória, o que permitirá a criação de apps capazes de tirar melhor partido dessa memória adicional nalguns iPhones e iPads. No entanto, isto não permitirá que os developers criem apps que exijam essa memória adicional; todas as apps continuarão a ter que funcionar dentro do limite máximo dos 5GB existentes, mesmo que isso signifique que terão desempenho mais lento, ou eventualmente até não possam activar certas funcionalidades.


Funcionalidades que desaparecerão no Windows 11

O Windows 11 vai trazer algumas coisas novas, mas também se vai despedir de algumas que poderão deixar saudades (ou não) entre alguns utilizadores. A Cortana é uma das grandes "abandonadas", deixando de ter honras de aparecer automaticamente na barra de tarefas; o modo tablet desaparece e passa a ser automaticamente associado a quando se liga / desliga um teclado a um dispositivo transformável; a snipping tool antiga passa a ser substituída pelo Snip & Sketch mais moderno; e outras apps como o Paint 3D e o Skype deixam de ser instalados, ficando disponíveis através da Store para quem os desejar.

Este último é um caso particularmente curioso e que tem originado algumas discussões, pois a integração no sistema do MS Teams poderá ser visto como um regresso às velhas tácticas de "impingir" os seus próprios serviços e combater serviços alternativos.


Curtas do dia


Resumo da madrugada





Curiosidade do dia: O iPad da Apple foi lançado em Abril de 2010, concretizando um sonho de longa data de Steve Jobs, que considerava que um tablet compacto e versátil pudesse vir a ter um impacto revolucionário na sociedade. Não se pode dizer que tenha tido um impacto mais significativo que o iPhone, mas seguramente contribuiu para popularizar este formato em inúmeros sectores, da educação à diversão, passando pelo uso profissional.

1 comentário:

  1. Em relaçao ao Windows 11, faltou falar sobre (para mim) as duas coisas que vão "desaparecer" mais importantes:

    A taskbar fica fica em baixo sempre (deixa de ser possivel ter a barra de tarefas nos lados ou em cima) e deixa de se poder criar grupos de apps no menu iniciar.

    ResponderEliminar

[pub]