2019/11/18

Notícias do dia

A NOS vai "matar" o Mail.pt, Kanguru e Clix em Fevereiro de 2020; alguns Samsung Galaxy S8 deixam de reconhecer código PIN; o novo serviço Disney+ corta piadas dos Simpsons com o com formato 16:9 (mas promete corrigir em breve); a série The Mandalorian faz sucesso nos sites pirata; como se compara o Google Assistant vs Siri nas suas versões mais recentes; desafio da Google compara vozes com Freddie Mercury; Alemanha obriga Apple a dar acesso ao NFC a outros serviços de pagamento; carregar um Tesla a reboque é mais eficiente que andar só com o carro a combustível; Samsung prepara smartphone dobrável como o Razr; e Mixhalo quer transformar concertos ao vivo com headphones e smartphones.

Antes de passarmos às notícias de hoje, está a terminar o passatempo para gadget da semana, desta vez dedicado a uma Xiaomi Mi Band 4 - participa.

WT Social quer ser alternativa ao Facebook e Twitter



Propostas de redes sociais alternativas há muitas, mas apenas uma delas conta com um dos co-fundadores da Wikipedia por trás: a WT Social. Derivada do WikiTribune, esta rede social espera conseguir reunir todos os descontentes com as políticas do Facebook e Twitter, e tornar-se numa alternativa que coloca os utilizadores em primeiro lugar, sem interesses escondidos, e com uma forte preocupação em não se tornar numa mera ferramenta de propaganda para campanhas de desinformação.

Não será fácil quebrar o domínio do Facebook, nem isso será algo que se consiga fazer de um dia para o outro. Mas, tendo em conta a preocupação crescente com as questões da privacidade e manipulação das massas, pode ser que este WT Social surja no momento certo. Por agora, os interessados terão que ter alguma paciência, já que as adesões estão a ser feitas por sistema de "fila de espera".


Chrome, Safari, e VMWare não resistem a desafio de hacking chinês



O Tianfy Cup é a versão chinesa do Pwn2Own, onde equipas de hackers são desafiadas a demonstrar as suas capacidades de dominarem diversos programas e produtos, e os resultados foram os habituais: Chrome, Safari, Office, Adobe PDF Reader, VMWare, um router da D-Link e mais, não foram capazes de resistir.

Uma das equipas - 360Vulcan - amealhou mais de 382 mil dólares pelos seus hacks, com os mais lucrativos a serem um que permitia escapar do VMWare para o sistema principal (200 mil dólares), e outro idêntico no qemu no Ubuntu (80 mil dólares).

Bem a propósito, a Huawei anunciou que iria pagar recompensas de até 220 mil dólares por falhas encontradas nos seus smartphones.


Huawei ganha novo adiamento de 2 semanas nos EUA



A Huawei conseguiu novo adiamento para a proibição de relações comerciais com empresas dos EUA, desta vez por mais duas semanas, que se vem somar aos 90 dias que já tinham sido conseguidos anteriormente. Embora não seja um prazo alargado, poderá ser o suficiente para que a situação fique resolvida - já que há relatos de que um novo acordo estará prestes a ser finalizado, mas faltando apenas a aprovação final pelos EUA.

Embora seja muito improvável que os EUA aceitem voltar a utilizar equipamento da Huawei em instituições oficiais e nas infraestruturas nacionais, é de esperar que pelo menos continuem a ser permitidas as relações comerciais normais entre empresas privadas - mais concretamente, que a Huawei continue a poder negociar com a Google e disponibilizar as suas apps e serviços nos seus smartphones. Seria uma excelente notícia que isso ficasse resolvido a tempo do lançamento do Mate 30 no nosso país.


GPS spoofing no porto de Xangai



Não é o triângulo das Bermudas, mas há nova zona misteriosa para embarcações, e mesmo no meio do porto de Shangai, um dos mais movimentados do mundo. São cada vez mais as embarcações que estão a ser alvo de ataques de GPS spoofing - ataques que fazem com que o seu sistema GPS indique estarem em locais diferentes daqueles em que estão na realidade, e que já terão estado na origem de vários acidentes.

Ninguém parece conhecer a origem do ataque, mas têm surgido alguns padrões curiosos, com os dados das embarcações, assim como de pessoas que usam o Strava, a revelar que as localizações falsas de GPS se parecem concentrar num círculo. As teorias são muitas, desde um novo sistema de interferência que a China estará a testar, à de sistemas usados por embarcações ilegais para tentarem baralhar a intercepção pelas autoridades. Seja como for, se andarem por Xangai, não convém confiarem demasiado no GPS.


Curtas do dia


Resumo da madrugada




Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]