2022/01/17

Notícias do dia

Bug no Safari revela sites visitados; Tesla revoga tokens de autenticação após aviso de hacker; Fundo Ambiental duplicado para €60M; Tesla Model Y prestes a usar baterias estruturais; óculos VR da Apple vão custar mais de $2000; e DRM impede Blu-ray 4K nos CPUs Intel mais recentes.

Antes de passarmos às notícias do dia, não deixes de participar no nosso passatempo semanal que desta vez te pode valer um powerbank de 10000 mAh.

Apple CarKey chega a mais carros este ano

Depois de se ter estrado nos BMWs, a possibilidade de usar um iPhone como chave do carro será expandida a mais fabricantes ainda este ano. O Apple CarKey utiliza o standard Digital Key, que na mais recente versão 3.0 até permitirá abrir o carro sem se ter que tirar o iPhone do bolso - e com sistemas de protecção anti-retransmissão, usando a capacidade de localização do UWB e BT LE.

Agora resta esperar para ver se algum fabricante irá aproveitar esta oportunidade para tentar associar isto a um serviço de subscrição mensal, que obrigue a pagar uma renda pela capacidade de se poder abrir o carro usando o smartphone como chave. Afinal, já temos subscrições para virar as rodas.


Gigantes tecnológicos controlam maioria dos cabos submarinos

O peso dos gigantes tecnológicos na infraestrutura que suporta a internet moderna está a tornar-se cada vez maior. Hoje em dia, empresas como a Alphabet (Google), Meta (Facebook), Microsoft e Amazon são responsáveis por usarem 66% da capacidade dos cabos de fibra submarinos que interligam os continentes, contrastando com os menos de 10% de há uma década atrás. Também por isso, todas estas empresas estão envolvidas em parcerias para estes projectos.

A parte positiva é que com isto, o mundo está cada vez mais ligado, e o custo da transferência de dados tem-se reduzido, apesar de cada cabo submarino poder custar centenas de milhões de euros. Em 2024, estas quatro empresas serão donas de pelo menos 30 cabos submarinos, com muitos mais planeados para o futuro.


Reino Unido lança campanha contra encriptação de mensagens

Não fosse o país do Big Brother e quase se poderia considerar uma surpresa: o governo britânico contratou uma campanha publicitária agressiva para tentar manipular a opinião pública contra programas de mensagens como o Messenger, por estes quererem activar encriptação end-to-end de origem.

A encriptação end-to-end (E2E) faz com que nem sequer o próprio serviço consiga saber o que os utilizadores escrevem nas mensagens e, como tal, também não as poderá fornecer às autoridades. É visto por uns como sendo algo absolutamente crítico para manter a privacidade dos cidadãos nos dias de hoje, mas que alguns governos e autoridades tentam fazer passar como sendo uma "calamidade", e usando as habituais desculpas de que dificulta o combate ao terrorismo e abuso de menores.


Curtas do dia


Resumo da madrugada






Curiosidade do dia: O primeiro telemóvel com câmara a chegar às lojas foi o Samsung SCH-V200, lançado no ano 2000 com uma câmara de 0.35 MP.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]