2018/08/20

Notícias do dia

Tarifários zero-rating passam a ser ainda piores após decisão da ANACOM; Samsung Brasil gaba câmara do Galaxy A8 com fotos falsas; NASA tenta recuperar Opportunity da tempestade de poeira em Marte; captura de movimento e expressões com iPhone X vence Siggraph; iOS 12 é mais rápido até num iPhone 5S; Nissan LEAF bate recorde de vendas em Portugal; que smartphones vão receber Android 9 Pie (ou não); artigo a alertar para o perigo da censura iminente na Europa é censurado; e como a tecnologia está a tornar a China no "Big Brother" perfeito.

Antes de passarmos às notícias de hoje, temos como gadget da semana para oferecer um suporte para smartphones da Baseus - e não se esqueçam que continua a decorrer o nosso mega-passatempo de Verão até ao final do mês, em que podem ganhar um NAS Synology DS218 oferecido pela Cloud IT.

Redes nos automóveis precisam de upgrade para lidar com novos sensores



Pensam que é chato que, mesmo com uma rede gigabit em casa, continue a demorar demasiado tempo a transferir aquele backup de 40GB de um lado para o outro? Então imaginem o que se passa num automóvel. A velhinha rede CAN pensada para interligar umas dezenas de sensores, botões e actuadores, está longe de ter capacidades para lidar com as dezenas de câmaras, radares, LIDARs, e demais sensores que se vão multiplicando nos automóveis autónomos. Aliás, chega-se ao ponto em que nem uma rede gigabit é capaz de o fazer.

Actualmente os fabricantes e parceiros têm trabalhado em redes de 2.5Gbps que no futuro poderão chegar a 10Gbps, ou o HDBaseT (actualmente com 6Gbps e previsão de poder atingir 20 e 40Gbps no futuro). Esperemos que eventualmente estas redes multi-gigabit nos automóveis possam também contribuir para a aceleração das redes ethernet domésticas.


Fitbit lança Charge 3



O mercado dos fitness trackers e smarwatches tem estado relativamente calmo, com poucos lançamentos de relevo ou dispositivos que venham "revolucionar" o segmento, mas isso não impede a Fitbit de continuar a lutar pela sua relevância, com o lançamento do novo Charge 3 com touchscreen.

Embora seja idêntico visualmente ao Charge 2, o Charge 3 vem com corpo em alumínio e um touchscreen protegido por Gorilla Glass 3. O ecrã é monocromático mas tem capacidade para mostrar diferentes intensidades de cor, e o sensor de frequência cardíaca foi melhorado, tendo também sido adicionado o sensor de oxigénio no sangue que já estava presente no seu smartwatch. As suas proximidades com o smartwatch notam-se também na sua capacidade para apresentar notificações do smartphone.

Vai estar disponível por $149.95 na versão Core, e por $169.95 na Special Edition que inclui NFC e suporta Fitbit Pay para pagamentos.


Minecraft: Education Edition vai chegar ao iPad



Depois da compra milionária do Minecraft, a Microsoft continua a apostar em todas as suas variadas vertentes, sendo que para o início deste ano lectivo a MS revela que irá disponibilizar o Minecraft: Education Edition para o iPad. Uma opção lógica considerando que muitas escolas têm apostado na utilização de iPads pelos alunos, e a MS não quer perder esses potenciais clientes (continua a ser necessário ter a subscrição anual do serviço para que se possa tirar partido das suas funcionalidades).

Algumas das coisas que têm sido desenvolvidas no Minecraft Education Edition estão também a passar para a versão normal do jogo, como é o caso do Chemistry Resource Pack, criado para dar noções de química aos jogadores. Para o activarem, basta que no jogo se vá a "Create New World", menu "Cheats", e se ligue o "Education".

... A plataforma que se segue com mais pedidos para receber o Minecraft Education Edition, são os Chromebooks.


Apple Store de Amesterdão evacuada após "explosão" de bateria de iPad



O caso teria sido bastante mais "grave" se tivesse acontecido numa loja da Samsung, mas desta vez foi a Apple a ter que sofrer um pequeno revés, depois da bateria de um iPad ter causado a evacuação da Apple Store de Amesterdão, devido aos vapores tóxicos.

A situação não foi tão impressionante quantos os títulos de "explosão" podem fazer pensar, tendo sido o problema detectado apenas pela dificuldade em respirar de três funcionários da loja, que depressa suspeitaram que se trataria de uma bateria perfurada a emanar gases tóxicos, colocando-a imediatamente num contentor com areia.

Curiosamente, este é já o terceiro caso este ano de Apple Stores evacuadas devido a problemas com baterias, sendo que também em Zurique e Espanha já se assistiu a episódios idênticos (mas referentes a baterias de iPhones)


Curtas do dia


Resumo da madrugada




4 comentários:

  1. Quem comprou criptomoedas ao preço mais alto está a levar um valente chimbalau.
    https://expresso.sapo.pt/economia/2018-08-20-Atraidos-pelo-boom-das-criptomoedas-investidores-lamentam-perdas#gs.iBzaZKA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... É o que se aplica a *qualquer* investimento.
      Como sempre, fazer investimentos retroactivamente é que seria bom. :)

      Eliminar
    2. E já agora também:
      https://www.cnbc.com/2018/08/20/after-the-bitcoin-boom-hard-lessons-for-cryptocurrency-investors.html

      Eliminar
    3. O problema é que o pessoal pensa que comprar criptomoedas é investimento - quando é jogo de fortuna e azar (pode-se perder ou ganhar).

      Nos EUA, em que não há segurança social pública, quem quiser ter um rendimento depois de deixar de trabalhar, tem que investir em ações (diretamente ou através da fundos). Mas são ações de empresas sólidas. Com uma carteira diversificada, mesmo que haja perdas aqui ou ali, a perspetiva é que valorize. E mesmo assim ...

      Eu também jogo qualquer coisa - mas quantias que não me fazem falta, se perder não me aquece nem me arrefece. Se comprasse criptomoedas era exatamente nessa lógica. Nem me passava pela cabeça meter lá dinheiro que me fizesse falta. E se metesse dinheiro, enquanto estivesse a ganhar, ia tirando o que lá tinha posto. Quando a coisa virasse, pelo menos estava em casa.

      Agora, a compra de criptomoedas é também um típico "negócio de pobre" - com promessa de se ganhar muito dinheiro, há pessoal, desesperado, que mete lá o que tem e o que não tem e depois lixa-se.

      Eliminar

[pub]